Registe-se para ter acesso a toda a conferência. Entrada Livre

  Autorizo a Ciência Viva a tratar os meus dados, no âmbito da iniciativa Ciência 2019 e de acordo com a sua Política de Privacidade

Registar
Login


Nota:
Poderá efectuar posteriormente alterações ao seu registo inicial entrando na área reservada com o login e password que recebeu por email.


Informações Práticas


1) Informação geral

2) Informações para Oradores

3) Informações para Moderadores

4) Local da apresentação

5) Pósteres

6) Registo

7) Presença online (Twitter, Facebook e Instagram)

8) Jantar do evento Ciência 2019




1) Informação geral
As sessões decorrem das 9h00 às 19h00. Em cada dia existem duas Sessões Plenárias e várias sessões paralelas com a duração de 90 minutos cada. No início de cada sessão paralela haverá uma breve apresentação (pitch) por um(a) jovem do ensino secundário.

O programa detalhado inclui a indicação da hora e sala de cada sessão.

2) Oradores
As apresentações em suporte audiovisual (PowerPoint ou PDF) devem ser entregues, no mínimo 1 hora antes da sessão na sala "slide desk" (ver mapa). Devem também assinar uma declaração sobre a concordância (ou não) de disponibilização online das apresentações após o encontro. Lembramos que as comunicações devem ser necessariamente breves e adaptadas a uma audiência diversa. Exceto para oradores convidados, as apresentações deverão ter um máximo de 10 minutos, seguidos de 5 minutos de perguntas. As línguas oficiais do encontro são o Português e Inglês.

3) Moderadores
O Moderador é a pessoa que se certifica que a sessão começa e acaba a horas, de que há perguntas para cada orador, e relembra os participantes da hashtag do evento no Twitter (#ciencia2019pt). Exceto para oradores convidados, as apresentações deverão ter um máximo de 10 minutos. Para controlo do tempo, os Moderadores disporão de cartões amarelos para assinalar que faltam 4 minutos para terminar, e vermelhos para conclusão imediata.

De notar que no início de cada sessão paralela haverá uma breve apresentação relacionada com o tema da sessão por um(a) jovem do ensino secundário.

4) Local da apresentação
O dia, hora e sala de cada sessão e apresentação está no Programa (publicado online). Poderá ver aqui o mapa do Centro de Congressos com as respetivas salas. Cada sala está equipada com portátil e microfones, além de água para os oradores e Moderador.

5) Pósteres
Os pósteres serão exibidos ao longo dos três dias do evento, em ecrãs tácteis localizados no pavilhão 4. São pesquisáveis pelo nome do autor, instituição ou por área científica.
Os investigadores poderão apresentar o seu póster em qualquer dia e momento do evento, bastando para isso pesquisá-lo no écran e apresentá-lo aos visitantes de um modo informal. Não é imperativo que o autor esteja presente nos três dias, mas para efeitos de participação requer-se a presença de pelo menos um dos seus autores num dos dias do evento.

6) Registo
A entrada no Ciência 2019 é livre, mas o registo é obrigatório e deve ser feito aqui. Cada participante receberá por mail o seu crachá, que deverá imprimir e trazer consigo nos dias do Encontro. Ao apresentar este documento evitará tempos de espera prolongados à entrada.

7) Presença online (Twitter, Facebook e Instagram)
O Ciência 2019 está presente nas várias redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram. Pede-se a todos os participantes para usar a hashtag #ciencia2019pt

8) Jantar do evento Ciência 2019
O jantar do Ciência 2019 decorreu no dia 9 de julho no restaurante Adega do Kais. .


Download do logotipo do encontro




Investimento participativo em projetos inovadores

Nesta edição do Encontro Ciência 2019 vamos dar palco a ideias inovadoras que podem transformar-se em soluções num futuro próximo. Projetos focados na qualidade de vida das pessoas ou na sustentabilidade ambiental foram criados por grupos de alunos do ensino básico, secundário, profissional e superior. Estas são ideias promissoras que precisam do seu apoio! Como pode fazê-lo? Votando naquela que mais o entusiasma e em que mais acredita e, em simultâneo, participando na angariação de fundos para o seu financiamento. Os projetos podem ser votados por todos os participantes do Encontro Ciência 2019 e o apoio financeiro será distribuído proporcionalmente de acordo com a votação final. A ideia mais votada será a que recebe o maior financiamento.

Por isso, vote e comprometa-se com a ciência!

As votações estarão abertas desde as 9 horas do dia 8 de julho até as 17 horas do dia 10 de julho e os resultados serão anunciados durante a sessão de encerramento.

Resultados da votação



São estes os projetos inovadores desenvolvidos pelos estudantes, e que esperam o seu compromisso:











Ecoponto Inteligente

Autoria

Diogo Varela, Madalena Pereira, Catarina Brasil, professor Jaime Rei, professora Filipa Rei e alunos Clube de Robótica da Escola de São Gonçalo - Projeto desenvolvido por um Clube Ciência Viva na Escola: Agrupamento de Escolas de São Gonçalo, Torres Vedras

"Procuramos financiamento para o desenvolvimento de um projeto educativo associado a um ecoponto inteligente."


VER DESCRIÇÃO DA IDEIA




EPASat-V

Autoria

Pedro Pires, António Rodrigues, Pedro Cunha, Vasco Gil, Gabriel Pimentel, Professor Luís Bettencourt e Professora Marta Reverendo - Escola Profissional de Almada, Almada - Projeto vencedor da final nacional do concurso CanSat 2019

“Procuramos financiamento para desenvolvimento do software para adaptação de periféricos para pessoas com deficiência.”


VER DESCRIÇÃO DA IDEIA













Biografias


Zita Martins

Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa

Zita Martins é Astrobióloga, Professora Associada no Instituto Superior Técnico (IST), e Co-Diretora do Programa MIT-Portugal. Os seus interesses científicos incluem a deteção de assinaturas de vida extraterrestre em missões espaciais, e a potencial contribuição de meteoritos e cometas para a origem da vida na Terra. Foi cientista convidada da NASA Goddard e University Research Fellow da Royal Society, no Imperial College, de 2009 a 2017. Entre as missões espaciais em que participou destacamos o ExoMars, e o OREOcube e EXOcube, que irão ser instalados na Estação Espacial Internacional. É membro do consórcio internacional da missão ARIEL da ESA e participa na Hayabusa2 da Agência Espacial Japonesa (JAXA). É a única cientista Portuguesa na missão Comet Interceptor da ESA e representa o nosso país em diferentes sociedades científicas e comissões internacionais. Concilia o seu trabalho de investigação com uma intensa atividade de divulgação científica, tendo dado mais de 100 entrevistas na comunicação social internacional, e tendo sido selecionada pelo canal de TV BBC como Expert Scientist Women.






Dia 8 de Julho

Giovanna Tinetti

University College London

O seu trabalho tem-se centrado na Astrobiologia e é a investigadora principal da missão ARIEL da Agência Espacial Europeia (ESA). Dirige o novo Centre for Space Exoplanet Data da UCL (University College London) e é co-fundadora e co-diretora do Blue Skies Space Ltd, empresa para a criação de satélites para investigação científica. Da Universidade de Turim, a sua Carreira científica levou-a ao Joint Propulsion Laboratory da NASA, em Caltech nos Estados Unidos, e a Paris como bolseira externa da ESA. Trabalha no Reino Unido desde 2007, tendo obtido uma Royal Society University Research Fellowship (URF), uma bolsa de investigação concedida a cientistas, em início de carreira no Reino Unido, com elevado potencial para se tornarem líderes na sua área de investigação.






Pedro Gil Ferreira

Universidade de Oxford

Especializou-se em cosmologia e astrofísica, tendo realizado trabalho pioneiro sobre a estrutura do Universo em larga escala, a radiação residual do Big Bang e a matéria e energia escuras, liderando o estudo de alternativas à Teoria da Relatividade Geral de Einstein. Publicou mais de 200 artigos, dando também a conhecer o seu trabalho em revistas de divulgação científica. É avaliador de projetos da Agência Espacial Europeia, Royal Society, Comissão Europeia, entre outros. O seu livro “The Perfect Theory: A Century of Geniuses and the Battle over General Relativity” foi publicado em mais de 20 países.






James Durrant

Imperial College e Swansea University

A sua área de investigação está focada na fotoquímica dos novos materiais para a produção de energia solar, das células fotovoltaicas à fotossíntese artificial. Atualmente o seu grupo estuda o desenvolvimento de células solares orgânicas e de perovskita, bem como fotocatalizadores e fotoeléctrodos. Com mais de 450 artigos publicados e 5 patentes, o seu trabalho na área da fotoquímica e conversão de energia solar foi premiado pela Royal Society of Chemistry’s Environment e pelo Tilden Prize. É Fellow da Royal Society desde 2017 e recebeu recentemente a Medalha Hughes.






Tito Trindade

CICECO, Universidade de Aveiro

Tito Trindade doutorou-se no Imperial College de Londres e criou na Universidade de Aveiro uma linha de investigação sobre a síntese, caracterização e modificação de superfícies de nanomateriais, incluindo vidros, metais e óxidos metálicos. O laboratório que dirige tem-se também especializado na criação de materiais compósitos para aplicações biológicas, biorremediação e energias renováveis. Coautor de mais de 240 publicações e com mais de 6000 citações e 3 patentes, dirige o Programa Doutoral em Nanociências e Nanotecnologia da Universidade de Aveiro e colabora frequentemente em atividades de disseminação da Química, Ciência dos Materiais e Nanotecnologias. É membro do International Advisory Board das revistas European Journal of Inorganic Chemistry e Nanomaterials.



Dia 9 de Julho

Nick Veck

Satellite Applications Catapult, Reino Unido

Nick Veck é Special Advisor na Satellite Applications Catapult in Harwell, em Oxford, empresa que ajudou a criar em 2013. Com uma longa carreira de investigação universitária e na indústria, ocupou cargos no British National Space Centre (BNSC), na Universidade de Leicester e foi chairman da UKSpace, a associação empresarial do espaço. Recebeu o título de MBE (Member of the Most Excellent Order of the British Empire) em 2018 pelos seus serviços para as Ciências do Ambiente e a medalha de ouro da Remote Sensing and Photogrammetric Society (RSPSoc). É o representante designado pelo Reino Unido para a colaboração do país com o Atlantic International Research (AIR) Centre.






Cristina Fonseca

Talkdesk e Indico Capital Partners

Cristina Fonseca é co-fundadora da Talkdesk, hoje considerada um dos “unicórnios” portugueses, e mais recentemente, da Indico Capital Partners, uma empresa de capital de risco para apoiar startups de base tecnológica em Portugal e Espanha. É engenheira electrotécnica e de computadores pelo Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa e participou no Global Solutions Program da Singularity University, especializando-se em Inteligência Artificial. Em 2016 foi incluída na lista Forbes 30 under 30 e em 2015 figurou entre os Global Shapers no Forum Económico Mundial.






Maria Cody

Agência Espacial do Reino Unido

Dirige a Agência Espacial do Reino Unido e é a responsável pela articulação com a Agência Espacial Europeia. Criou o International Partnership Programme para promover o desenvolvimento em economias emergentes através do espaço. Com formação em Química, tem assumido cargos de gestão na administração pública relacionados com desenvolvimento internacional e políticas da ciência e e inovação, tendo participado na organização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres em 2012. A promoção da diversidade e da inclusão social é um tema sempre presente nos seus interesses.






Chiara Manfletti

Portugal Space, Agência Espacial Portuguesa

Chiara Manfletti foi nomeada em 22 de março como a primeira Presidente da Agência Espacial Portuguesa (Portugal Space). Chiara Manfletti tem dupla nacionalidade italiana e alemã, é graduada em engenharia aeronáutica pelo Imperial College de Londres (2001), tem o mestrado em “estudos espaciais” pela “International Space University” (ISU) de Estrasburgo (2002), e é doutorada pela Universidade alemã de Aachen (2009). Tem ainda uma licenciatura em História pela Open University do Reino Unido (2003). Trabalhou na empresa francesa SNECMA, na agência espacial alemã, DLR, tendo posteriormente ingressado na Agência Espacial Europeia (ESA) em 2016, onde tem sido nos últimos anos assessora do Diretor Geral na sede da agência em Paris.






Vasco Pedro

Unbabel

Vasco Pedro é o co-fundador, administrador e responsável pelo desenvolvimento de produto da Unbabel, uma startup de inteligência artificial ao serviço da tradução, linguagem e comunicação. A Unbabel utiliza deep learning e redes neuronais adaptadas a cada cliente tendo a engenharia da plataforma sido desenvolvida em Portugal. Está disponível em 28 línguas e entre os seus 150 clientes incluem-se a Microsoft, Facebook, Booking, KLM, Rakuten e Easyjet. Vasco Pedro é doutorado pela Carnegie Mellon University, trabalhou no Language Technologies Institute, com a equipa que veio a criar o Watson da IBM e foi professor e investigador convidado no Instituto Técnico.






Dia 10 de Julho

Dava Newman

Programa Apollo no Massachusetts Institute of Technology (MIT)

Dava Newman é professora do Programa Apollo no Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Boston, investigadora Harvard–MIT Health, Sciences and Technology, em Cambridge, Massachussets, e directora do Programa MIT Portugal. Especialista em engenharia biomédica aeroespacial, estuda o desempenho do corpo humano sujeito a diferentes condições de gravidade, essencial para a exploração espacial. Neste âmbito, desenvolveu o BioSuit, um fato espacial que permite ao astronauta uma melhor mobilidade e pelo qual foi distinguida, em 2007, com o prémio “Best Invention” da Time Magazine.
Dava Newman foi a primeira mulher a assumir as funções de vice-administradora da NASA, tendo sido nomeada por Barack Obama.






João Tasso de Sousa

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Lidera o LSTS (Laboratório de Sistemas e Tecnologias Subaquáticas), pioneiro no desenho, construção e controle de redes de veículos autónomos subaquáticos, aéreos e de superfície, com importantes aplicações na oceanografia, segurança e defesa. É membro de diferentes comissões técnicas internacionais, nomeadamente no âmbito do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineering), e do IFAC (International Federation of Automatic Control). Pertence ao conselho editorial de várias revistas científicas e é autor de mais de 300 publicações.






Maria do Céu Mateus

Lancaster University

Com mais de 20 anos de experiência em investigação em saúde pública e economia da saúde, especializou-se na avaliação de tecnologias da saúde, eficiência, equidade e qualidade de vida. Tem colaborado com diferentes associações científicas da área da saúde como a PCSI (Patient Classification Systems International), EuHEA (European Health Economics Association) e com o capítulo português da ISPOR (International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research). Estudou em Portugal no ISEG (Instituto Superior de Economia e Gestão) e na Escola de Saúde Pública da Universidade NOVA de Lisboa, onde se doutorou. A sua carreira profissional tem-se desenvolvido entre Portugal e o Reino Unido, incluindo investigação e consultoria a entidades públicas e privadas da área da saúde.






Anne Glover

Royal Society of Edinburgh

Doutorada em Microbiologia Molecular pelo King’s Colllege, em Cambridge, focou a sua investigação científica em várias temáticas, como a localização celular de proteínas, o desenvolvimento de biossensores ou o estudo da resposta ao stress ao nível molecular. Desde Abril de 2018 que preside a Royal Society de Edimburgo e foi a primeira Chief Scientific Adviser do Presidente da Comissão Europeia, entre 2012 e 2015. Previamente, entre 2006 e 2011, foi a primeira Chief Scientific Adviser da Escócia. Tem sido uma reconhecida embaixadora da ciência europeia, com um particular empenho no papel da ciência no desenvolvimento das sociedades, nomeadamente em África. É membro do conselho de numerosas fundações.






Vanda Brotas

Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Vanda Brotas trabalha em ecologia marinha, em particular ecologia, função e dinâmica do fitoplâncton, deteção remota da cor do oceano e produtores primários de ecossistemas estuarinos, zonas costeiras, e oceano aberto. Presentemente participa na Climate Change Initiative da Agência Espacial Europeia. Tem sido coordenadora, na parte portuguesa, de diferentes projectos internacionais, e investigadora principal de numerosos projectos nacionais. Para além dos artigos científicos que publicou, é autora de obras de divulgação científica para crianças.






Penny Holliday

National Oceanography Centre, Reino Unido

Penny Holliday é oceanógrafa no National Oceanography Centre, do Reino Unido e o seu trabalho de investigação tem-se centrado no estudo da variabilidade das correntes subpolares no Atlântico Norte e do papel do oceano nas alterações climáticas. Participou em 21 expedições oceanográficas, muitas como coordenadora científica, e coordena o CLASS (Climate Linked Atlantic Sector Science), um programa do Reino Unido para apoio à decisão sobre a gestão do Atlântico. Participa em inúmeras comissões científicas internacionais e representa o Reino Unido no EuroGOOS, a componente europeia do Global Ocean Observation System.






David Vaughan

Director of Science do British Antarctic Survey, Reino Unido

Participou em 10 expedições da British Antarctic Survey (BAS) desde 1985, sendo hoje o diretor científico desta prestigiada instituição com mais de 120 investigadores. Tem-se dedicado a estudar a variação das camadas de gelo e a sua interação com o clima e o impacte das alterações climáticas nas regiões polares. O seu trabalho nesta área tem-lhe granjeado prémios e condecorações. Coordenou o projeto europeu Ice2Sea, que realizou estimativas globais do aumento do nível da água do mar para os próximos 200 anos e participou na elaboração dos relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).






Maggie Dallman

Imperial College London

É professora de Imunologia e Vice Presidente do Imperial College para os assuntos internacionais e relações com a sociedade. A sua investigação tem abordado a regulação da resposta do sistema imunitário e da inflamação, com aplicações ao tratamento de doenças como a diabetas, a artrite reumatoide ou as alergias. Maggie Dallman participa ainda na direção de prestigiadas instituições como o Francis Crick Institute, Biotechnology and Biological Sciences Research Council e a Westminster School, em Londres.






Centro de Congressos de Lisboa, Junqueira

Morada:
Praça das Indústrias
1300-307 Lisboa
Portugal

Para qualquer informação ou esclarecimento, contacte-nos.

Organização


Com o Apoio